Formação

Jogos de estimulação cognitiva para idosos

Destinatários: Estudantes e profissionais das áreas sociais e de saúde.

Ver todas as Acções

Horário

Não existem Acções Agendadas

Conteúdos:

1) Animação cognitiva ou mental: 

1.1) O conceito 

1.2) O papel do animador

1.3) A sua importância para promoção da qualidade de vida dos idosos

2) Planificação de sessões de animação cognitiva ou mental:

2.1) Estrutura dos planos de sessão

2.2) Exemplos de atividades / jogos de animação e de estimulação cognitiva 

3) Reflexão e debate

 

Objetivos:
• Compreender o papel da animação e o papel do animador, na promoção da qualidade de vida dos idosos
• Planificar e avaliar sessões de animação cognitiva

• Realizar diferentes atividades / jogos de animação e de estimulação com os idosos

 

Formador: Andreia Vale

Psicóloga, membro efetivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses (OPP).

Mestre em Psicologia e Desenvolvimento de Recursos Humanos.

Conclusão da parte letiva do Mestrado em Temas de Psicologia de Jovens e Adultos.

Especialização em Atendimento a Jovens pela APF, em Psicologia Forense, em Perturbações do Comportamento Alimentar pela FCNAUP e na área da Prevenção das Toxicodependências pelo IDT.

Experiência como Psicóloga Clínica (em contexto hospitalar e em consultórios privados), Educacional e em Desenvolvimento de Recursos Humanos

Coordenadora de uma Pós-graduação em Psicogerontologia

Formadora e Orientadora de Estágios Curriculares e Profissionais para a OPP e IEFP

Formadora certificada pelo Conselho Científico-Pedagógico da Formação Continua de Professores nas áreas de Orientação Vocacional e Educação para a Saúde.

Especialista em Psicologia Clínica e da Saúde, Psicologia do trabalho, social e das organizações.

Líder em Yoga do Riso pela Laugther Yoga Internacional University.

Participação em Congressos/Seminários para Psicólogos e Professores

Publicação de artigos - Fernandes, J. & Vale, A. (2015). Formação e Desenvolvimento: práticas, destinatários e finalidades. In J. Machado (Coord.),Educação, Territórios e Desenvolvimento Humano (pp. 861-877). Porto: FEP-UCP