Formação

Estimulação Cognitiva na Deficiência Mental

Destinatários: Psicólogos e estudantes de Psicologia; Assistentes Sociais; Técnicos ou auxiliares que trabalhem diretamente com estas questões/ áreas. 

Ver todas as Acções

Objetivos:

Gerais

  • Definir o conceito de Deficiência Mental;
  • Saber como é feita a avaliação e os critérios de diagnóstico;
  • Conhecer a etiologia da Deficiência Mental;
  • Características principais da pessoa com Deficiência Mental;
  • Saber o que é um Treino Cognitivo - fundamentos e tipologias;
  • Quais as metodologias para ensinar a pensar;
  • Um programa de estimulação cognitiva - exemplo.

Específicos

  • Saber o que é a Deficiência Mental;
  • Conhecer o método de avaliação e os seus critérios de diagnóstico;
  • Qual a sua etiologia;
  • Principais características da pessoa com Deficiência Mental;
  • Treino Cognitivo - o que é, como é feito, quais os objetivos;
  • Metodologias para ensinar a pensar - parte prática;
  • Um programa de estimulação cognitiva para a Deficiência Mental - exemplo;
  • Caso prático - para discussão;
  • Exemplos de Material a Desenvolver;
  • Questionários de Avaliação/ monitorização.     
     

Formadora: Marta Esteves Lopes Ramos

Licenciada em Psicologia pela Universidade Católica Portuguesa do Porto

Mestrado em Psicologia Clínica e da Saúde, pela mesma Universidade, iniciou a sua atividade profissional no Hospital de S. João, nas Consultas de Perturbações do Comportamento Alimentar – tema da sua Tese de Mestrado

Trabalhou na Associação de Paralisia Cerebral de Guimarães, como Psicóloga responsável por duas respostas sociais (CAO e Lar Residencial)

Trabalhou como Psicóloga e Diretora Clínica no espaço Afectos e Ternura - Serviços de Psicologia.

É atualmente Formadora na MDC e responsável pelo departamento DIFERENCIA -TE - Gabinete de Intervenção Terapêutica para pessoas portadoras de deficiência.

Psicóloga Clínica na Clínica NeuroImprove, responsável pela intervenção na área infantil através da Técnica de Neurofeedback, tendo como principais problemáticas de intervenção: PHDA, ADD, Dificuldades de aprendizagem e Autismo.