Formação

Abordagem Psicológica em Cuidados Paliativos Pediátricos

Destinatários: Enfermeiros; Psicólogos; Nutricionistas; Terapeutas Ocupacionais, Professores que já trabalharam com a temática; Voluntários.

Ver todas as Acções

Horário

Não existem Acções Agendadas

Objetivos:

  • Indicar os principais objetivos da Psicologia pediátrica, à luz da doença oncológica infantil;
  • Compreender e identificar os estádios de desenvolvimento infantil, de acordo com as principais correntes teóricas: desenvolvimento cognitivo, psicossocial e afetivo;
  • Compreender o desenvolvimento do conceito de saúde/ doença ao longo do crescimento infantil;
  • Perceber a evolução do conceito de morte ao longo do desenvolvimento infantil;
  • Sensibilizar para as consequências de uma hospitalização durante a infância e na adolescência;

 

  • Identificar as principais consequências físicas, sociais e psico- afetivas tendo em conta o período desenvolvimental em que a hospitalização ocorre;
  • Compreender o processo de oncogénese e reconhecer os principais fatores que influenciam o processo de carcinogénes;
  • Enumerar os principais tipos de cancro infantis e identificar os seus principais sintomas e sinais;
  • Distinguir tumores sólidos de tumores líquidos e exemplificar cada um deles:
  • Nomear os principais tratamentos no cancro infantil e seus efeitos na criança;

 

  • Sensibilizar para os direitos da criança com doença oncológica através da análise da Carta da criança hospitalizada;
  • Enunciar os principais objetivos em Cuidados Paliativos Pediátricos;
  • Identificar as especificidades dos CPP, relativamente à população adulta;
  • Identificar os principais quadros nosológicos psicológicos associados à doença oncológica pediátrica;
  • Reconhecer a importância da avaliação psicopatológica em psico- oncologia pediátrica;

 

  • Reconhecer a importância da reavaliação psicopatológica em cuidados paliativos pediátricos;
  • Conhecer e selecionar métodos de avaliação psicológica de acordo com os sinais e sintomas apresentados pela criança;
  • Reconhecer a importância da dor como 5º sinal vital;
  • Sensibilizar para a dimensão da QdV infantil, planeando intervenções para a sua promoção;
  • Traçar planos de intervenção para os principais quadros psicopatológicos infantis, tendo sempre como base a escolha assertiva de instrumentos de avaliação;

 

  • Promover a criatividade e a adaptação de instrumentos e técnicas de intervenção tendo em conta a idiossincrasia da criança-alvo;
  • Atentar às necessidades dos familiares da criança em cuidados paliativos;
  • Identificar as principais formas de intervenção psico-oncológica com familiares/ cuidadores da criança doente terminal;
  • Identificar sinais e sintomas das denominadas “Últimas horas e dias de vida” (UHDV);
  • Propor intervenções psico-oncológicas junto da criança em situação terminal bem como dos seus familiares/ cuidadores;

 

  • Reconhecer as caraterísticas comunicacionais da Conspiração do silêncio;
  • Adquirir estratégias comunicacionais de forma a colmatar os efeitos nefastos da mesma;
  • Identificar situações de necessidade de sedação e sua importância  na redução da agonia terminal;
  • Compreender o processo de trabalho no luto preparatório com familiares e cuidadores da criança em CPP;
  • Sensibilizar para a importância do sonho, de metas e objetivos da criança;
  • Traçar planos de intervenção através de estudos de casos de crianças em CPP e em situação de UHDV;

Conteúdos:

  • Psicologia pediátrica Desenvolvimento infantil;
  • Cognitivo/ Psicossocial/ Emocional;
  • A criança e o conceito de saúde/ doença A criança e o conceito da morte;
  • A criança e a hospitalização Oncogénese;
  • Principais tipos de cancro infantis/ Sinais e sintomas Sólidos;Líquidos;

 

  • Principais tratamentos no cancro infantil Carta da criança hospitalizada;
  • Cuidados paliativos pediátricos;
  • Quadros nosológicos associados à doença oncológica pediátrica
  • Principais necessidades de intervenção com a criança com cancro;
  • Avaliação e Intervenção na dor;

 

  • Avaliação e Intervenção na depressão infantil;
  • Avaliação e Intervenção na ansiedade e no medo Avaliação e intervenção na QdV;
  • Necessidades dos familiares da criança com cancro Últimas horas e dias de vida;
  • Conspiração do silêncio;
  • Sedação;
  • Luto preparatório Sonhos;

 

Formadora: Maria João Carneiro

Psicóloga, Membro efetivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses.

Mestre em Psicologia Clínica e da Saúde pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto.

Pós-Graduada em Neuropsicologia Clínica. Pós-Graduada em Cuidados Continuados e Paliativos.

Formadora nas áreas da Saúde e Psico-Oncologia.

Experiência em intervenção neuropsicológica nomeadamente em estimulação cognitiva com crianças e jovens com deficiência e com população adulta/idosa.

Experiência no apoio psicológico a doentes e familiares de utentes com doença oncológica, de várias faixas etárias.